Notícias Sesc TO

Imagem da notícia

CineSesc exibe Mostra de Cinema Marginal em Palmas, Araguaína e Gurupi

Publicado por: RONALDO COELHO TEIXEIRA em 10/12/2019 às 11:39:34

 

Depois da Mostra Sesc de Cinema 2019, o CineSesc irá exibir a Mostra de Cinema Brasil Marginal, somente com filmes independentes, de 09 a 13 de dezembro em Palmas, Araguaína e Gurupi. Todos os filmes são da Programadora Brasil em mostra realizada em parceria com a Sociedade Amigos da Cinemateca. O horário será sempre às 19h e a entrada gratuita. Informações pelo telefone (63) 3212-9915.

 

A Mostra de Cinema Brasil Marginal, que acontecerá de 09 a 13 de dezembro, exibirá apenas filmes independentes, a exemplo de “O bandido da luz vermelha”, “À meia noite levarei sua alma”, entre outros. A Mostra tem classificações indicativas variadas e entrada gratuita.

 

Programação

Dia 09 – “O bandido da luz vermelha” (92 min) e “Documentário” – (10 min) – de Rogério Sganzerla;

Dia 10 – “Tudo é Brasil” (82 min) e “Linguagem de Orson Welles” (15 min) – Rogério Sganzerla;

Dia 11 – “A margem” (91 min) e “Uma rua chamada Triumpho” (11min) – Ozualdo Candeias;

Dia 12 – “Bang Bang” (85 min) e “Blablablá” (26 min) – Andrea Tonacci;

Dia 13 – “À meia noite levarei sua alma” (82 min) e “Amor só de mãe” (21 min) – José Mojica Marins (Zé do Caixão) e Dennison Ramalho.

 

Confira os resumos dos filmes:

“O bandido da luz vermelha” (Brasil/1968) – Livremente inspirado em fatos reais. Um assaltante misterioso (Paulo Villaça) usa técnicas extravagantes para roubar casas luxuosas de São Paulo. Ele é apelidado pela imprensa de "bandido da luz vermelha", já que traz sempre uma lanterna vermelha e conversa longamente com suas vítimas. No entanto, seus roubos e crimes chamam tanta atenção que um implacável policial começa a perseguir o "bandido da luz vermelha". O drama tem a classificação de 16 anos.

 

“Documentário” (Brasil/1996) – "O ponto de partida de nossos filmes deve ser a instabilidade do cinema como também de nossa sociedade, de nossa estética, de nossos amores e do nosso sono. Por isso, a câmera é indecisa; o som fugidio; os personagens medrosos. Nesse país tudo é possível, e por isso o filme pode explodir a qualquer momento" ... "Cinema fora da lei", manifesto escrito pelo diretor Rogério Sganzerla em maio de 1968. A classificação é de 16 anos.

 

“Tudo é Brasil” (Brasil/1997) – Tudo é Brasil traz cenas inéditas e imagens dos bastidores do filme americano It's All True, dirigido e rodado no Brasil por Orson Welles na década de 1940. Com depoimentos do próprio Welles, e de tantos outros colaboradores brasileiros e americanos, o longa-metragem traz à tona a história secreta do filme It's All True, dirigido pelo pai do cinema moderno. O documentário tem a direção de Rogério Sganzerla e classificação de 16 anos.

 

“Linguagem de Orson Welles” (Brasil/1990) – Grande Otelo narra a passagem pelo Brasil do diretor de cinema norte-americano Orson Welles e seu envolvimento com a cultura local, que ele adorava e estudava com a fundo. O curta traz cenas realizadas pelo cineasta.

 

“A margem” (Brasil/1967) – Na favela às margens do Rio Tietê, em São Paulo, trágicas histórias de amor têm lugar. Entre os personagens um louco aflito que está sempre à procura de uma rosa, uma jovem que teve de recorrer à prostituição, uma prostituta que circula vestida de noiva e um homem que aparenta destoar do conjunto por vestir um paletó e uma gravata que o sufoca. Uma trágica realidade social. O drama tem a direção de Ozualdo Candeias e classificação de 18 anos.

 

“Uma rua chamada Triumpho” (Brasil/1969-1970) – A região da Boca do Lixo paulistana e as pessoas do meio cinematográfico que por ali circulavam são registradas em fotografias de autoria do diretor Ozualdo Candeias. A classificação é de 16 anos.

 

“Bang Bang” (Brasil/1971) – “Homem-macaco” vive múltiplas aventuras, como ser perseguido por uma quadrilha de criminosos bizarros - composta por um criminoso cego, surdo e mudo que não possui habilidade alguma com o revólver, seu irmão e a mãe dos dois - neste filme policial satírico, estruturalmente livre, rodado na Belo Horizonte do início dos anos 1970. A direção é de Andrea Tonacci e a classificação é de 16 anos.

 

“Blablablá” (Brasil/1968) – O sentido do poder e da palavra em crise situam o homem que os manipula numa idêntica crise pessoal, humana. A farsa do discurso de intenção humanista é total e absoluta. Um ditador num momento de uma grave crise nacional, institucional, confrontado na cidade e no campo por revoltas e guerrilha, na busca de uma paz ilusória, faz um longo pronunciamento pela televisão. Mas a realidade impõe-se à sua ficção e o controle da situação escapa-lhe das mãos. Sobra-lhe uma patética confissão antes de ser tirado do ar. Classificação de 16 anos.

 

“À meia noite levarei sua alma” (Brasil/1964) – O sádico e cruel coveiro Zé do Caixão (José Mojica Marins) pretende gerar um filho perfeito para dar continuidade ao seu sangue. Mas sua mulher não consegue engravidar e ele acaba violentando a mulher do seu melhor amigo. A moça violentada pelo coveiro quer se suicidar, para regressar do mundo dos mortos e levar a alma de Zé do Caixão. A direção é de José Mojica Marins e a classificação é de 16 anos.

                                 

“Amor só de mãe” (Brasil/2003) – Conta a história de um pescador que vive em uma vila isolada e pobre, com um dilema entre sua genitora e seu amor. Filho (Everaldo Pontes), como é chamado por todo o filme, tem um relacionamento amoroso e carnal com Formosa (Débora Muniz). A direção é de Dennison Ramalho e classificação de 12 anos.

 

O CineSesc exibe a Mostra de Cinema Brasil Marginal, de 09 a 13 de dezembro.Todos os filmes são da Programadora Brasil em mostra realizada em parceria com a Sociedade Amigos da Cinemateca. O horário será sempre às 19h e com entrada gratuita em Palmas, Araguaína e Gurupi. Informações pelo telefone (63) 3212-9915.

 

Serviço

Cultura – CineSesc Palmas, Araguaína e Gurupi

Ação: Mostra de Cinema Brasil Marginal

Datas: de 09 a 13 de dezembro

Horário: 19h

Entrada: gratuita

Classificação: variada

Informações: (63) 3212-9915

 

Imagem disponível para download: https://bit.ly/36eoI67

 

Videos disponíveis:

https://bit.ly/37Z7LOW (O bandido da luz vermelha)

 

https://bit.ly/2RgYThS (Linguagem de Orson Welles)

 

www.sescto.com.br   

Twitter: @sescto

Facebook: www.facebook.com/sescto   

Instagram: @sesctocantins

Youtube: SESCTO

 

(Texto: Ronaldo Coelho – Assessor de Imprensa Sesc - TO)

Serviço: Assessoria de Comunicação do Sesc Tocantins - Fone: (63) 3212-9968.

Coordenador de Comunicação do Sesc - TO: Renato Klein

Licença: Os textos podem ser reproduzidos gratuitamente, apenas para fins jornalísticos, mediante a citação da fonte.


Ver todas as notícias