Galeria de Artes

Exposição "Aforismos Sonoros"

 

A palavra aforismo, descrita historicamente como um gênero textual breve, mas com características especificas e bastante delimitadas, também é conhecido no mundo literário como um gênero textual sucinto, fragmentado e assistemático, ligado a reflexões filosóficas de natureza prática ou moral. Na história literária encontramos grandes escritores e filósofos que escreveram aforismos, como Friederich Nietzche ou Fernando Pessoa, por exemplo, que observavam neste tipo de gênero textual uma aplicação real de suas convicções mais profundas.

 

Por outro lado, os aforismos também carregavam uma pecha de gênero textual menor, já que pela sua simplicidade narrativa havia uma dada discrepância ao seu sentido para determinados indivíduos. Em alguns casos, os aforismos chegavam a proceder a banalidade, em muitos casos pela pseudo-assertividade e eloquência que alguns autores chegavam a descrever seus relatos do cotidiano, criando uma visão simplista do caráter narrativo dos aforismos.

 

Entretanto, a partir do período moderno, o conceito de aforismo se transforma, diluindo-se em um tipo de meta relato que é usado por novos autores como um texto prático e intuitivo do momento vivido. Assim, procede-se o desenvolvimento de pequenos relatos de si em meio a um ou vários espaços, construindo leituras e narrativas que envolvem reflexões, ideias, conceitos, desejos, jogos e afetos direcionados a um tempo presente e específico. Diferentemente dos grandes autores, o aforismo na atualidade se constitui como uma espécie de reflexão constante que atravessa o domínio discursivo, apropriando-se de sua ideia estrutural para transgredir e operar discursos que envolvem diversas narrativas, envolvendo desde imagens e sons a pequenas ações e performances.

 

Tendo este preâmbulo em mente, o conceito da presente exposição utiliza a noção de aforismos incorporando-a em pequenas narrativas visuais desenvolvidas por meio cards. O desenvolvimento destes cards surge a partir do meu discernimento - enquanto professor de artes, músico e artista visual - sobre o atual momento político e cultural em que vivemos e sua própria relação multissensorial com/em nossas vidas. Pensando nisso, comecei a criar esta série em meados de 2018, levando em consideração as diversas dinâmicas perceptivas da música e dos sons junto as imagens – articuladores subjetivos da presença humana que incorporam formas de pensamento distintas, seja como uma maneira de manutenção de conceitos e costumes ou de sua própria transgressão.

 

A série é composta por mais de 50 cards, sendo ininterrupta e contínua. As obras utilizam a técnica de colagem como princípio norteador, mas é também utilizado o desenho e a aquarela em outros momentos. Estas variações técnicas no desenvolvimento dos cards se relacionam com a minha leitura sobre o tempo passado e presente, constituindo-se como novas formas de ler o futuro, o que me obriga de certa maneira – a continuar desenvolvendo os cards ad infinitum, assim como suas variações, tal qual uma forma de pensar minha própria existência.

 

 

Serviço

Cultura – Artes Plásticas

Ação: Abertura da Exposição “Aforismos Sonoros" de Léo Perotto – TO

Local: Galeria Sesc de Artes do Centro de Atividades de Palmas (502 Norte)

Entrada: gratuita

Visitação: de 07 de março a 14 de abril

Informações e visita mediada: (63) 3212-9922